Felicidade

Não sou dada a anos, meses, dias. Sei que é tempo de Agir. E não conto as horas para me darem a força necessária para fazer acontecer.

Tenho tido mil aprendizagens, certezas, desapegos, tristezas, conquistas, falhanços. Tanto que a mim me parece ter vivido várias vidas dentro da minha vida.

Porque estou em plena acção, determinada e focada, há já cinco anos, sinto os passos tornarem-se fortes, sólidos e com vontade própria. Sei que não posso (nem quero) fugir ao meu propósito. Inicia-se um período de acção!

Vivo um caminho sem volta da concretização de sonhos, de encontros profundos comigo mesma, de solidão introspectiva e partilha em comunhão. Tudo o que desejei, e mais ainda o que não imaginava ser possível, chegou. Recebi tudo de braços abertos, aceitando o meu destino. Todos os dias o confirmo. Mas, na ressaca dos sonhos concretizados, perdi-me. Lutei para me encontrar. Fui aprender. Fui viajar fundo dentro de mim e tive respostas. Hoje faço listas!

Aprendi, faz tempo, a não acreditar em listas. Mas adoro fazê-las. Por isso reservo-me o direito de tudo o que disser, ao longo do tempo que se for seguindo, sem me pedir passagem, a cedência de mudar. De voltar atrás. De escolher diferente do planeado.

Tenho ambiciosos objectivos a realizar. Ambição é uma palavra poderosa. Muitos evitam-na. Têm medo de má interpretação. Eu não. Eu quero chegar à meta do caminho que percorri com ardor, com sonhos, com vontade, com lágrimas, com medo, muito medo, com certeza, sem tantas certezas também.

Mas vamos à lista …

estudar para aprender

silenciar para ouvir

ser empática com os outros

estar disponível para mim mesma

relacionar-me com os que partilham os meus sonhos

meditar, orar, respirar

perder peso

dançar muito mais

comer fruta e legumes todos os dias

caminhar com alma

viajar com propósito

viver feliz

Esta é a lista das minhas necessidades.

Quanto aos factos, bem, poderia aqui descreve-los mas não seria justa para comigo. Os factos estão escritos de forma clara, alguns agendados, planeados, certos de serem cumpridos. Mas são meus. São estrelas do destino, que aprendi a aceitar. Não ao destino, que ainda tenho para mim, poder ter um palpite nas decisões que tomo, mas aos factos que chegam efeito das minhas causas!

E aprendi que o que é meu só deve ser partilhado quando concretizado. Por isso o silêncio!

Agradeço profundamente cada dia. Que o que se aproxima seja rico em vivências e pleno de realizações.